Coleção Victor Heringer

O protagonista de O amor dos homens avulsos narra de maneira derrisória sua adolescência num subúrbio imaginário do Rio de Janeiro no final da decada de 1970, quando um menino apadrinhado pelo pai foi morar em sua casa. O garoto se tornou o seu primeiro amor, relacionamento interrompido durante um episódio trágico de agressão. A estampa kitsch criada para a capa parece feliz e inofensiva, indo ao encontro do tom irônico e leve do texto. Os brinquedos que representam inimigos armados para um duelo, por outro lado, deixam pistas sobre o passado que assombra o narrador.

A reedição de Glória adota o mesmo partido gráfico. Este livro narra a história de uma família de humor idiossincrático. Seus membros se comunicam com chistes, tiradas, diálogos zombeteiros. Falam o oposto do que querem dizer ou repetem as mesmas frases até que passem a ter outro sentido. A imagem da cabeça de um palhaço com boca aberta escolhida para a estampa representa bem esta família nonsense.

Companhia das Letras, 2016
14 × 21 cm

Capas

capa_Companhia_OAmorDosHomensAvulsos_01
capa_Companhia_Gloria